Você está aqui: Página Inicial seta Rede Vegetal seta Projetos Componentes seta PC4 - Bancos Ativos de Germoplasma de Hortaliças e Condimentares seta Planos de Ação seta PA9 - Banco Ativo de Germoplasma de hortaliças não convencionais
Navegação
 

PA9 - Banco Ativo de Germoplasma de hortaliças não convencionais

Existe um grande número de espécies olerícolas, porém poucas dezenas estão inseridas no contexto comercial de produção e comercialização. Neste sentido, a comunidade científica passou a se referir a espécies olerícolas excluídas das cadeias produtivas como hortaliças negligenciadas ou não-convencionais. Em função desta condição e da perda de identidade cultural de diversas comunidades tradicionais, corre-se grande risco de extinção de materiais ainda muito pouco conhecidos. Trata-se, ainda, de uma questão de valoração cultural, de sistematização do conhecimento de comunidades tradicionais.
Dentre estas hortaliças, citam-se o mangarito (Xanthosoma mafaffa Schott.), o jacatupé (Pachyrrhizus tuberosus (Lam.) Spreng. e Pachirrhizus ahipa (Wedd.) Paroli), o cupá (Cissus gongylodes Burch), os inhames indígenas (Dioscorea sp.), o cará-moela (Dioscorea bulbifera L.) e o ariá (Calathea allouia (Aubl.) Lindl.), entre outras. Ainda, existem hortaliças que já apresentam uso mais difundido, mas carecem de informações técnicas e científicas, observando-se um crescente interesse por parte da sociedade nestes materiais e um volume de trabalho científico muito reduzido. Dentre eles, pode-se citar a bucha (Luffa spp.), a cabaça (Lagenaria ciceraria), a andiroba (Sevillea trilobata), a taioba (Xanthosoma saggitifolium), o yacon (Smallanthus sonchifolius Poepp. E Endl.) H. Robinson), o açafrão (Crocus sativus e Curcuma longa), o gengibre (Zingiber officinallis Roscoe), a vinagreira (Hibiscus sabdariffae L.), o ora-pro-nobis (Pereskia aculata Mill.), a bertalha (Basella alba L.), o jambu (Spilanthes oleracea L.), a chicória-do-Pará (Eryngiuim foetidum L.), o peixinho ou lambari (Stachis lanata L.), a azedinha (Rumex acetosa L.), a araruta (Maranta arundinacea L.), a capuchinha (Tropaeolum majus L.), a beldroega (Portulaca oleracea), o caruru (Amaranthus viridis L.), entre outras. Atualmente, a Embrapa não dispõe de um banco de germoplasma destas hortaliças, assim como há muita carência de informação a respeito de algumas destas espécies.O diagnóstico dos recursos genéticos deste Banco será realizado pelo curador de Hortaliças, cuja atividade consta no PC Curadoria da Rede Transversal.
Da mesma forma, os acessos de germoplasma desse banco serão mantidos em duplicata na coleção de base da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia para se ter uma segurança da integridade de todos os  materiais incorporados no Banco.
Essas atividades serão desenvolvidas ao longo do período da execução do projeto, procurando encontrar materiais nas épocas mais adequadas para se obter sementes ou propágulos de acordo com as características de cada espécie.

Objetivos:

  • Estabelecer bancos ativos de germoplasma de hortaliças não-convencionais

 

Responsável:
  • Nuno Rogrigo Madeira

 

Equipe:
  • Terezinha Aparecida Borges Dias
  • Rui Américo Mendes
  • Jose Flavio Lopes
  • André Nepomuceno Dusi
  • Ivo Roberto Sias Costa
  • Arailde Fontes Urben

 

Atividades:

  • Enriquecimento do banco com a coleta de hortaliças não convencionais junto à populações tradicionais e agricultores familiares
  • Conservação de germoplasma com o estabelecimento ex-situ do banco de hortaliças não convencionais, com a obtenção de sementes botânicas de jacatupé e obtenção de sementes botânicas de bucha, cabaça e nhandiroba
  • Caracterização morfológica e avaliação agronômica de acessos de germoplasma de hortaliças não convencionais
  • Documentação dos acessos de germoplasma de hortaliças não convencionais com dados de passaporte e caracterização
  • Enriquecimento com a coleta e manutenção de cogumelos para uso humano
  • Caracterização genética do BAG de macromicetos
  • Emissão de relatórios e publicações finais do projeto
Ações do documento